Erros Cognitivos

Erros Cognitivos

By : -

Erros Cognitivos

ERROS COGNITIVOS – QUANDO SUA MENTE TRABALHA CONTRA VOCÊ MESMO.

Você já percebeu que em algumas situações você é tomado por fortes emoções e começa a pensar coisas ruins que não pode controlar? Nestas circunstâncias, seus pensamentos funcionam como juízes implacáveis e você se sente impotente e frágil. Quando as coisas não saem bem e você se sente frustrado podem surgir pensamentos disfuncionais como:

Estou sozinho, devo ser pouco atraente.

Eu afasto as pessoas porque sou carente demais.

Nada do que eu faço é importante, sou uma pessoa medíocre.

Quando este tipo de pensamento é acionado você acredita neles como se fosse verdade absoluta.

As crenças de desamor (eu não mereço ser amado), desvalia (as outras pessoas são melhores que eu) e desamparo (ninguém vai cuidar mim), não aparecem assim tão claramente, elas geralmente aparecem na forma de pensamentos automáticos  ou erros cognitivos.

Conheça os erros cognitivos mais comuns:

  • Tirania dos Deveria

Dirigir a própria vida em termos de “deveria” e “não deveria”. Você interpreta os acontecimentos em termos e como as coisas deveriam ser em vez de focar no que elas são.

Ex: Eu deveria ter em preparado melhor para esta reunião.

  • Leitura Mental

Deduzir que sabe o que o as pessoas estão pensando sem ter evidências suficientes em relação a seus pensamentos.

Ex: As pessoas me acham feia.

  • Hipergeneralização

Perceber um padrão global de aspectos negativos com base em um único incidente. Uma derrota, erro ou acontecimento desagradável cria na pessoa a expectativa de que isso irá acontecer sempre.

Ex:  Cometi um erro, eu faço tudo errado nesta vida!

  • Desqualificação dos aspectos positivos

Alegar que as coisas positivas que faz ou que os outros fazem são triviais.

Ex: Essas conquistas foram fáceis, então, elas não têm a menor importância.

  • Rotulação

Atribuir traços negativos globais a si mesmo e aos outros.

Ex: Sou antipática ou ele(a) é arrogante.

  • Catastrofização

Acreditar que o que aconteceu ou acontecerá será terrível e intolerável e que não conseguirá suportar.

Ex: Se eu ficar doente vou morrer sozinho.

  • Personalização

Atribuir a si mesmo uma qualidade desproporcional de culpa por acontecimentos negativos e não conseguir perceber que determinados acontecimentos são também causados pelos outros.

Ex: O casamento acabou porque eu fracassei.

  • Comparações Injustas

Interpretar aconteceimentos em termos de padrões não realistas, focar basicamente em outros que se saem melhor que você e se achar inferior na comparação.

Ex:  Todos se saíram melhor do que eu na prova, sou um fracasso total.

  • Atribuição de culpa

Focar o outro como fonte de seus sentimentos negativos e se recusar a assumir responsabilidades por se transformar.

Ex: Meus pais causaram todos os meus problemas.

  • Tendência à lamentação

Focar na ideia de que poderia ter feito melhor no passado.

Ex: Eu não deveria ter dito aquilo.

Estes são alguns dos principais Erros Cognitivos, eles são um padrão persistente e recorrente, surgem na forma de pensamentos automáticos muito rápidos e guiam a interpretação dos fatos de modo à distorcer a realidade.

Como lidar com os erros cognitivos?

Os Erros Cognitivos parecem VERDADE e é justamente aí que começa o trabalho.

Para aprender a corrigir os erros cognitivos é preciso antes de mais nada percebê-los, fazer registros quando eles surgem nas mais variadas situações e depois, aprender a questioná-los de forma lógica para quebrar sua rigidez.

Na Terapia Cognitivo Comportamento, o terapeuta trabalha junto com o paciente de modo que se torne capaz de identificar e questionar os erros cognitivos e assim mudar o padrão rígido pelo qual enxerga as coisas, chegando a respostas mais flexíveis.

A mudança é gradual e promove uma reestruturação cognitiva gerando mudanças duradouras e prevenindo recaídas. Uma vez que se aprenda a lidar com os pensamentos distorcidos a pessoa se torna mais livre e leve!

Gostou do post? Deixe suas dúvidas ou comentários.

 

Este texto foi escrito por:
Elisete Costa de Melo
Psicóloga
Cognitivo Comportamental e Terapeuta Familiar
CRP 06/62351

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *